terça-feira, 20 de março de 2012

A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO (1984)


Sexta-feira passada (16/03/2012) estreou nos cinemas brasileiros a comédia "Projeto X - Uma Festa Fora de Controle", sobre uma festa de adolescentes que, como o título já diz, sai "um pouquinho" do controle e se transforma num autêntico caos. O trailer é muito divertido, mas enquanto não vou aos cinemas conferir, prefiro relembrar com os leitores do FILMES PARA DOIDOS uma outra festinha fora de controle, esta realizada há quase 30 anos.

Trata-se de A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO, um clássico da TV aberta e uma daquelas comédias apelativas como o cinema norte-americano parece ter desaprendido a fazer nestes tempos modernos.

E o mais curioso: se "Projeto X" é sobre adolescentes e as doideiras típicas da faixa etária, A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO retrata personagens ADULTOS que perdem completamente a compostura e portam-se de maneira pior que muito moleque por aí.


Como o título original (bem mais apropriado) já anuncia, o filme é sobre uma bachelor party - a tradicional despedida de solteiro. No caso, a despedida de Rick Gassko (Tom Hanks, em seu segundo filme como protagonista), irresponsável motorista de ônibus escolar que recusa-se a crescer, mesmo estando com o casamento marcado com a gata Debbie (Tawny Kitaen, de "Execução Sumária").

A notícia de que Rick vai "se enforcar" pega seus amigos de surpresa, já que todos são solteirões convictos, ainda mais irresponsáveis e imaturos do que ele. Mas os safadões vêem no casório a oportunidade de liberar geral com uma despedida de solteiro de arromba, cheia de, como um dos rapazes anuncia, "garotas, armas, fogos de artifício, prostitutas, drogas e álcool, tudo aquilo que faz a vida valer a pena!".


A exemplo do que acontece no recente "Projeto X", a despedida de solteiro de Rick acabará saindo do controle: a festa acontece num hotel de luxo, decorado com balões feitos com camisinhas e tudo mais, e a barulheira no quarto (tem até uma banda tocando ao vivo!!!) acaba atraindo outros hóspedes. Não demora para que a pequena e particular bachelor party se transforme na festa mais animada da cidade!

Mas não fica só nisso, e o roteiro escrito por Pat Proft e pelos irmãos Bob e Neal Israel (este último também diretor) é incrível pela quantidade de personagens e situações paralelas que consegue criar. Além da despedida de solteiro em si, Rick enfrentará o ódio do sogro Ed Thompson (George Grizzard), um ricaço que não aprova o casório; a marcação cerrada da própria noiva e de suas amigas, desconfiadas do que está acontecendo na festinha, e até um ex-namorado ciumento e possessivo de Debby, o playboy Cole (Robert Prescott), que quer matar Rick para ter sua amada de volta!


A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO mereceria um prêmio só pela quantidade de frases de efeito (que lá fora chamam de one-liners) disparadas por todos os personagens, mas principalmente por Hanks, que solta piadinha atrás de piadinha e nunca parece falar sério.

E outro prêmio pela coragem de baixar o nível até o limite do bom gosto, coisa que a maioria das comédias recentes parece ter medo de fazer (a exceção é o ótimo "Se Beber Não Case", e que mesmo assim parece bem inofensivo perto desse filme aqui).


Impossível não citar alguns dos momentos antológicos da película, como a participação do canastrão Brett Clark ("Delta Force Commando") no papel de um stripper super-dotado que tem a sugestiva alcunha de "Nick The Dick" (alguém lembra como era o nome na versão nacional???).

Pois o pinto extralarge do Sr. The Dick é usado como recheio de cachorro-quente numa sacanagem armada por Rick e sua turma durante o chá-de-panela da noiva Debby. E se só a reação de Hanks e seus amigos ao tamanho do "dick" de Nick já é hilária (fotos abaixo), o desfecho da piada provocaria risos até no meio de um velório!


Nesses tempos lazarentos em que se busca o "politicamente correto" a todo custo, e não dá mais para brincar com certas coisas, é ótimo ver uma comédia de uma época em que sexo com prostitutas e consumo de doses cavalares de drogas são atitudes comuns e até mesmo incentivadas, sem qualquer juízo de valor. Praticamente todos os personagens do filme transam com as profissionais em algum momento da festa, e há até um "buffet" de entorpecentes para o uso dos convivas!

Acredite ou não, o roteiro foi inspirado nos acontecimentos registrados na despedida de solteiro do próprio co-roteirista e produtor Bob Israel, o que dá uma bela ideia das maluquices que esses sujeitos aprontavam também na vida real...


Mas o mais interessante de A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO é a química entre os atores que interpretam os amigos de Tom Hanks: você realmente acredita que aqueles caras todos são parceiros há anos. Eu gosto muito de algumas cenas simples que demonstram essa afinidade entre eles, como quando um dos rapazes joga batatas-fritas nos outros para chamar a atenção durante uma discussão.

É muito difícil que um filme consiga passar a ideia de que os atores REALMENTE são amigos de longa data, e não completos estranhos interpretando amigos de longa data. Esse aqui é um dos melhores exemplos de como fazer isso de forma convincente.


Por sinal, o jovem Hanks, ainda no árduo caminho para o estrelato (ele só estouraria mesmo em "Quero Ser Grande", de 1988), pode até ser o protagonista, mas também é o personagem mais xarope do filme: seu Rick Gassko só é imaturo e "adultescente" ATÉ que começa a despedida de solteiro, pois nesse momento revela-se um completo mala, aquele típico cara legal e certinho que não pretende passar dos limites e nem curtir as últimas horas de solteirice com uma puladinha de cerca.

Esse moralismo exagerado e empurrado goela abaixo no espectador ficou ainda mais evidente nas comédias recentes, como o pavoroso "Passe Livre". Mas A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO já traz uma cena um tanto difícil de engolir: por mais que sua noiva e futura esposa Debby seja uma gata, dá vontade de matar o Tom Hanks por recusar a lindíssima Monique Gabrielle, que, no papel de uma ex-namorada ainda apaixonada, oferece-se a ele completamente pelada!


Se Hanks faz o tipo certinho, pelo menos os seus parceiros de folia estão entre os sujeitos mais irresponsáveis já vistos numa comédia - e o fato de serem todos adultos, e não adolescentes com hormônios em ebulição, torna tudo mais divertido!

O rol de doidos conta com O'Neill (Adrian Zmed), um fotógrafo que, na sua primeira cena no filme, faz de tudo para enquadrar os seios fartos de uma pobre mãe solteira que leva seu filho pequeno para ser fotografado; o médico e irmão mais velho de Rick, Stan Gassko (William Tepper), louco para afogar as mágoas do casamento infeliz com as prostitutas da festa; o agenciador de shows Gary (Gary Grossman), que protagoniza uma das melhores cenas do filme ao apaixonar-se perdidamente por um travesti; o junkie Brad (Bradford Bancroft), que passa a festa toda tentando cometer suicídio e é o mais chato dos personagens principais; o garçom Ryko e o mecânico tarado Rudy.


Algumas palavrinhas sobre estes últimos dois: Ryko é interpretado por um jovem Michael Dudikoff, o próprio "American Ninja", ainda antes da fama. Ele viraria astro no ano seguinte, 1985, graças à aventura de artes marciais da Cannon Films.

Já Rudy, o mecânico tarado e alucinado interpretado por Barry Diamond (de "A Reunião dos Alunos Loucos"), rouba o filme toda vez que aparece. Seu personagem porco e grosseirão lembra muito John Belushi em "Clube dos Cajafestes", o que nos leva à informação de que...

...o roteirista e diretor Neal Israel reviu diversas vezes a clássica comédia de John Landis para tentar aprender como reconstruir aquele clima caótico, repleto de piadas soltas e personagens engraçados.


Pois algumas cenas de Rudy são tão parecidas com comportamentos de Belushi em "Clube dos Cafajestes" que provavelmente o próprio Belushi teria sido convidado para A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO caso não tivesse morrido de overdose alguns anos antes. Vejam, por exemplo, o momento em que Rudy come vários doces em um mercadinho sem pagar, semelhante ao antológico momento alimentar de John Belushi em "Clube dos Cafajestes"; ou a cena em que Rudy cospe cerveja inesperadamente na cara de uma garota, comportamento que se esperaria de Belushi no filme de Landis; ou, ainda, Rudy quebrando uma garrafa de uísque na própria cabeça, outro comportamento tipicamente belushiano.

Há um outro momento hilário "emprestado" diretamente de "Clube dos Cafajestes", envolvendo um jumento morto no elevador do hotel em que acontece a festa de Rick - uma citação confessa ao cavalo morto na sala do diretor da escola, no filme de Landis.


Acontece que, numa das cenas mais divertidas e ultrajantes de A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO, uma stripper (Toni Alessandrini, que era stripper também na vida real) é levada até o quarto de hotel para um show de zoofilia com um jumento!!! Mas, enquanto a moça dança e tira a roupa, o pobre quadrúpede começa a comer anfetaminas e cheirar linhas de cocaína dispostas sobre a mesa para os convidados da festa, morrendo logo depois de overdose e sendo "descartado" no elevador do hotel!

(Esta cena engraçadíssima da overdose do jumento foi cortada em quase todas as exibições do filme na TV aberta, e portanto a morte do animal ficava meio inexplicada, como se tivesse acontecido por ataque cardíaco ou algo do gênero!)


E por falar em TV aberta, é interessante destacar que a dublagem nacional de A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO subvertia o sentido de diversos diálogos para eliminar o incentivo à promiscuidade e ao uso de drogas que o filme originalmente fazia! Bem que alguém que tem o filme gravado da TV poderia colocar as cenas dubladas no YouTube para melhor comparação, mas, de memória, eis os piores momentos da versão em português:

No início do filme, quando Rick transporta um grupo de alunos de uma escola de freiras, há uma cena em que uns garotos jogam pôquer com apostas em dinheiro no chão do ônibus. Para diminuir um pouco a exibição de menores praticando jogo ilegal, a Globo dublou uma das crianças falando algo como "Olha, tem dinheiro aqui no chão!".


Em outra cena, o personagem do junkie oferece drogas a Hanks. Na dublagem nacional, ele dava uma de bom rapaz e dizia: "Eu não vou tomar essa porcaria com você!". No diálogo original, Hanks dispensava a oferta simplesmente dizendo que era falta de educação dividir drogas!

Finalmente, no auge da despedida de solteiro, um dos rapazes abre a porta e dá as boas-vindas a mais pessoas não-convidadas, anunciando, na versão dublada: "Gatinhas à esquerda, rapazes à direita". Na versão original, a divisão era bem diferente: "Drugs to the right, hookers to the left"!!!


A única parte fraca de A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO é a conclusão. O filme bem que poderia terminar com o desfecho da festa propriamente dita, mas há uma última cena de ação e perseguição, quando Cole sequestra Debby e Rick o persegue em seu ônibus escolar. O conflito termina com uma luta num cinema 3-D (que exibe cenas de "Mercenários das Galáxias", produzido por Roger Corman).

Essa conclusão com uma grande perseguição ou cena de ação é uma infeliz característica dos roteiros de Neal Israel, que fez a mesma coisa em "Loucademia de Polícia", "Academia de Gênios" e "Trânsito Muito Louco" (este ele também dirigiu). Eu particularmente acho esta "ação final" dispensável, e quebra o clima de comédia burlesca construído até então.


Por sinal, A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO é provavelmente o grande filme de Israel, que foi trabalhar na TV depois do fracasso de seus projetos dos anos 90 (como o insuportável "Surfistas Ninjas", com Rob Schneider e Leslie Nielsen). Um triste fim para o cara que fez comédias simpáticas como "Trânsito Muito Louco" e "Loucademia de Combate".

Outro que não sobreviveu à ação do tempo foi Adrian Zmed, cujo personagem tem bastante destaque neste filme e, aparentemente, estava sendo talhado para também virar astro de cinema - na época, ele estrelava o popular seriado de TV "T.J. Hooker", ao lado de William Shatner! Mas, apesar do cara mandar bem, não deu certo e, graças a escolhas erradas nos anos seguintes, a promessa de astro virou um esquecido coadjuvante de luxo.


Eu escrevi várias vezes, ao longo dessa resenha, que as comédias de hoje ficaram afrescalhadas, e seus realizadores parecem ter medinho de pegar mais pesado - como era regra lá atrás, nos anos 80. Uma bela forma de constatar isso na prática é fazer uma sessão dupla deste filme aqui com o recente "American Pie 3 - O Casamento" (2003), que também retrata uma despedida de solteiro e também tenta "pegar pesado", mas parece até produção da Disney perto do que Tom Hanks e sua turma aprontaram lá em 1984...

Ainda engraçadíssimo mesmo depois de 30 anos e pelo menos umas trinta reassistidas (de minha parte), A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO só tem um grande defeito: deixa todo mundo com a maior vontade de participar de uma despedida de solteiro como aquela de Rick Gassko e seus amigos.

Infelizmente, todos os meus amigos que cometeram a imbecilidade de casar também cometeram a dupla imbecilidade de não fazer qualquer festa de despedida de solteiro, muito menos algo animado e selvagem no nível dessa do filme. É de chorar...


PS 1: Em 2008, Neal Israel, Bob Israel e Pat Proft comprovaram que estão no fundo do poço ao assinarem o roteiro de "A Última Festa de Solteiro 2 - Tentação Final", uma abominável sequência de seu famoso sucesso, dirigida pelo novato James Ryan. Nenhum dos atores do original deu as caras, a continuação não tem graça nenhuma e ainda demonstra como o politicamente correto tomou conta das comédias modernas, já que não há nenhuma piada no nível da overdose do jumento ou de Nick The Dick.

PS 2: A cena do jumento foi "homenageada" com uma piada patética no igualmente abominável "O Balconista 2" (2006), de Kevin Smith, outra prova incontestável de como os ianques desaprenderam a fazer comédias divertidas.


ATUALIZAÇÃO: Numa incrível coincidência, A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO foi exibido num Corujão da Globo apenas dois dias após a publicação desta resenha. Dei uma conferida para ver se pegava outros casos de tradução porca. Além de todos os já citados (com a correção de que "Drugs to the right, hookers to the left" na verdade é "Quem gosta pra esquerda, quem não gosta pra direita"), praticamente todos os "hookers" foram substituídos por "gatinhas". "Nick The Dick" é "Nick, O Gostosão" na versão brasileira, e dê uma checada nas seguintes traduções puritanas: "Um brinde às grandes mulheres do mundo" (para "To girls with big tits!"), ‎"Parece que foi ontem que eu te ensinei a namorar, menina" (para "Seems like yesterday I showed you how to give a blowjob", tornando sem sentido a reação de surpresa das pessoas ao redor), e "Rapaz, olha só o rosto daquela mulher ali!" (para "Look at the cans on that bimbo!").

Trailer de A ÚLTIMA FESTA DE SOLTEIRO



*******************************************************
Bachelor Party (1984, EUA)
Direção: Neal Israel
Elenco: Tom Hanks, Tawny Kitaen, Adrian Zmed, George
Grizzard, Robert Prescott, William Tepper, Barry Diamond,
Michael Dudikoff e Monique Gabrielle.

48 comentários:

Diones Leal disse...

Eu tenho esse filme e já assisti milhões de vezes, e sempre acho graça nas maluquices dessa turma. o apelido de Nick na "escangalhada" versão em português é "Nick, o gostosão".Destaque também para o Milt, capanga do cafetão, que quebra uma vidraça com a cabeça para intimidar Gary. Isso que é comédia, me lembrei de outra também Férias do barulho (Private Resort), com Johnny Depp ainda desconhecido, hilariante, vale até uma resenha. Abraço.

Anônimo disse...

Durante minha leitura ao longo do texto, eu pensava nos filmes do Kevin Smith a cada alfinetada que tu aplicavas no atual "cinema politicamente correto". Até que no último parágrafo tu citaste o Kevin Smith.

Eu não assisti a todos os filmes do Kevin Smith, mas pelo pouco que eu assisti, reparei que em uma época dominada por Ben Stiller e Owen Wilson, Smith é um dos poucos exemplos que mais se aproxima dos bons e velhos tempos das comédias politicamente incorretas, mesmo que seus diálogos fiquem restritos a misturar personagens da Marvel com algum palavrão.

Em tempo: Eu achei o tal "Projeto X" divertido e ele é um oasis diante da enorme pasmaceira politicamente correta propagada hoje em dia.

Alex

Arthur disse...

filme divertido, já faz um tempão que vi no Intercine, concordo quando vocÊ fala da censura da dublagem, até parece que eu vou passar a usar drogas só porque vi alguém incentivando num filme (nem bebo, quanto mais...) sobre o personagem de Tom Hanks, eu aprovo a atitude do cara em não trair a noiva, e também acho que isso pode ser um sinal de amadurecimento dele.

Felipe M. Guerra disse...

DIONES, eu revi "Férias do Barulho" esses tempos e acho que envelheceu muito mal: todas as piadas perderam a graça ou ficaram infantilóides demais, e as poucas coisas que achei divertidas eram aquelas que eu gostava quando moleque. Por outro lado, "O Último Americano Virgem" envelheceu muito bem e parece melhor agora do que quando vi pela primeira vez.

ANÔNIMO, o Kevin Smith começou bem, mas a partir de "Dogma" a decadência do sujeito foi a olhos vistos. Por sinal, outro belo exemplo do moralismo das comédias recentes é um dos novos trabalhos dele, aquele "Pagando Bem Que Mal Tem?", que começa muito divertido com a ideia da realização de um pornô caseiro e termina como uma comédia romântica açucarada e bem bobinha.

ARTHUR, despedida de solteiro é só uma vez na vida, o Hanks podia ter deixado o bom-mocismo de lado para dar uma puladinha de cerca com a Monique Gabrielle, sonho de consumo de 11 em cada 10 homens do planeta!

Felipe M. Guerra disse...

ATENÇÃO, PESSOAL: por coincidência, a Globo vai reprisar "A Última Festa de Solteiro" nessa quarta-feira, 21 de março de 2011, no Corujão, às 2h55min. Não sei se vai passar cortado ou na versão integral, mas é uma bela chance para rever aquela tradução enganosa e ridícula à qual me referi no texto. Se o sono não me atingir antes, vou tentar dar uma conferida para ver se pego mais alguma tradução inadequada...

Carlos disse...

Olha já vi o Se beber não case e não achei nenhuma graça, só consegui soltar alguns risos amarelos em umas 3 cenas. Até hoje não como este filme é considerado um excelente filme, eu achei muito ruim. E esse Projeto X parece ser outra coisa sem graça.

Melissa disse...

Oi, Felipe,

Assisti a esse filme uma única vez nos Corujões da vida e, com certeza, assisti a uma cópia mutilada, pois não lembro do jumento cheirador, hehe. Fiquei curiosa pensando nos detalhes narrados por você (e no jumento)e decidi que vou locá-lo em vez de revê-lo na TV. Destaque para a sua frase: "Infelizmente, todos os meus amigos que cometeram a imbecilidade de casar... Adorei!
"Trânsito Muito Louco" merecia uma resenha.

Abs.

Anônimo disse...

Guerra,eu sempre quiz que você resenhasse esse filme mas tinha vergonha de pedir.Adoro, e as piadas continuam impagáveis.Como esquecer a cena do traveco,do jumento,do cachorro quente?Na verdade eu gostei do personagem do Hanks,e o final foi legal;o que você sugeriu seria melhor!Já que falamos em comédias clássicas,uma pergunta:você gosta do Porks?Esse merecia uma resenha assim como Loucademia de combate.
Ass:Calígula.

Arthur disse...

mudando um pouco o assunto, ae Felipe, Os Mercenários 2 voltou a ter censura R, quero saber suas expectativas para o filme.

Henriquegab disse...

O meu favorito do Hanks! Assisti num intercine da vida e curti pra caralho. Essa cena do Burro cheirando cocaina e comendo anfetamina é classica demais, é a primeira coisa que digo do filme quando vou recomenda-lo.

Felipe M. Guerra disse...

MELISSA, não esqueci da resenha que você já me pediu. Aguarde, em breve! ;-)

CALÍGULA, fico feliz pela satisfação causada pela resenha. Adoro "Porky's", mas acho que tão cedo ele não aparecerá por aqui.

ARTHUR, minhas expectativas são baixíssimas, apesar de que ficarei muito feliz de ver Chuck Norris de volta à tela grande. A não ser que aconteça algum milagre, acredito que o grande filme de ação deste ano será "The Raid".

Chagas disse...

Off-topic: Guerra, eu sei que o horror não é uma das principais propostas do blog, e por isso pergunto o que você tem visto de destaque dentro do gênero. Pode dar algumas dicas? Eu mesmo procuro, pesquiso, corro atrás, mas não aparece nada que me chame atenção. Já viu THE THEATRE BIZARRE?

Bússola do Terror disse...

E depois tem gente que reclama das pornochanchadas brasileiras do final dos anos 70 e início dos 80. Ué! Mas na América do Norte faziam filmes exatamente com o mesmo tipo tema naquela época! A Última Festa de Solteiro é um exemplo disso, assim como Porky’s e Férias do Barulho, também já mencionados nos comentários.
E já que você mencionou que o filme vai passar na Globo e que supostamente vão cortar cenas do filme, provavelmente vão cortar, sim.
Uma vez eu vi Atração Fatal na Globo 2 horas da manhã e mesmo assim eles cortaram cenas (como aquela em que o personagem do Michael Douglas começa a comer a personagem da Glenn Close na pia e depois vai andando pra cama sem se ‘desencaixar’ dela).
E agora em Dezembro, quando a Globo exibiu Big Stan, também de madrugada, cortaram até a simples cena em que o personagem do Rob Schneider mostra um vibrador pra namorada dele!
Então, já que a Globo adora censurar as cenas mais “polêmicas” dos filmes, mesmo quando passam de madrugada, com certeza A Última Festa vai perder muitas cenas nessa exibição.

Diones Leal disse...

Guerra, eu tenho "o último americano virgem" também, acho que é um excelente filme e tudo que você disse sobre ele eu assino embaixo.Porém as gargalhadas terminam na primeira metade do filme, depois se torna um romance com final dramático (que eu gostei muito por sinal, por ser realista... ahaha), mas em matéria de riso, funciona bem só até a metade do filme, depois ele sofre igual um cachorro... hehe (Se me permite vou dar outra dica de resenha, to gostando desse negócio, qual a sua opinião sobre o filme "Te pego lá fora". Valeu, um abraço.

Vini... disse...

Acho essa comédia maravilhosa, é simplesmente um dos filmes da minha vida.

Excelente post e depois de ter lido com certeza passarei mais vezes no seu blog.

^^

budyrevell disse...

Para não falar que o cinema americano não produziu mais nenhuma comedia sem noção e politicamente incorreta temos um filme chamado Dias incríveis ou em inglês OlD SCHOOL. esse vale a pena conferir.

Anônimo disse...

Esse é clássico mesmo. A melhor comédia do Hanks antes dele estourar.

Anônimo disse...

A Toni Alessandrini, além de ser stripper na vida real, era também atriz pornô.
Encontrei um filme da Tawny Kitaen antes dela estrelar "Bachelor Party". O título é: "As aventuras de Gwendoline no paraíso" de 1984. Vale resenha Felipe?

Paulo Geovani

Felipe M. Guerra disse...

PAULO, "Gwendoline" é um filmaço. Em breve vai ter resenha aqui sim, mas nem percam tempo esperando, saiam já atrás desse filme! Divertidíssimo, e ainda tem a Tawny pelada.

Andrade disse...

Passando agora na Globo! Sensacional a coincidência, li o post ontem e agora pego o filme, que ainda não vi, no Corujão.

Ronaldo Bastos disse...

Olááá, Sr. Terra, descobri este seu cantinho internético há pouco tempo e adorei! Se me lembro bem, encontrei seu link numa página dedicada ao Jack Snyder e o grande filme MADRUGADA DA MORTE. Me apaixonei de primeira e se permite dizer, isto aqui é um mafuá de obscuridades, hehehe!
É claro que ainda não me aprofundei muito aqui, mas o que li aqui é orgásmico, ora essa!
Cheguei a ver seus filmes, e posso dizer, como um colecionador de oito mil títulos, que vejo muita influência do saudoso Glauber Rocha e do espalhafatoso José Molina Marins... Posso te perguntar se é fato?
Não gosto de bajulação descarada, Sr. Terra, mas vejo um grande futuro para o senhor e te digo muito mais: és uma enciclopédia humana, um maldito entre os malditos, um rei no exílio, condenado seis vezes, o Sílvio Santos das películas limbônicas!
Prometo-te virar um leitor assíduo e viva o cinema trash!!! Hurra!!!
UM grande beijo pra ti e para os seus dinâmicos leitores, meu querido!

Ronaldo C. Bastos, seu servo

Ronaldo Bastos disse...

Sr. Terra, eu não poderia de deixar de vir aqui de novo para apresentar-te uma pequena sugestão: por que não muda o nome do blog para FILMES ENTERRADOS PELO TEMPO? Entendeu o trocadilho? Terra=enterrados...
Seria genial, não acha?
Hahaha, perdoe-me se pareço um pouco invasivo, mas a euforia me consumiu ao encontrar esse espaço daquele que eu já considero o guru da putrefação cinéfila, o solitário e sombrio menestrel do Humanismo!
Agora, se me dá licença, mas Morfeus clama por meu nome. Não conseguiria esperar até mais tarde para apresentar-te essa valiosa dica e sei que me será grato. Boa noite e durma com o nosso Senhor Jesus, meu capitão!

Ronaldo C. Bastos

Anônimo disse...

Felipe, você conseguiu assitir ao filme?

Paulo Geovani

Felipe M. Guerra disse...

Vi sim, PAULO, e até acrescentei mais um parágrafo no final com outros exemplos de tradução estapafúrdia - além de uma foto da deliciosa Toni Alessandrini! ;-)

Renan disse...

Monique Gabrielle deliciosa...

Não sou muito fã de comédias, mas essa é ótima. Ao contrário de várias comédias atuais, como as do Sandler, as apelações se encaixam e ficam bem engraçadas. Se perdeu muito mais o timing da piada do que a ousadia.

elemesmo disse...

Felipe, vc não acha que "Clube dos Cafajestes"(Animal House)mereceria mais ser resenhado do que esse filme? Não que "A última festa..." seja ruim, mas é que "Clube..." é praticamente o pai desse tipo de filmes, pois não me lembro de outro filme nesse estilo anterior a ele.

Além disso, como vc mesmo disse no texto, há uma clara influência de um sobre o outro, sem contar a presença do impagável John Belushi.

D Evil disse...

Crássicoooooo!!! Esse e Dirty Dancing estão no meu top do coração, bitcheessss!! :^)

Tudo nele é memorável, o jumento, o travesti, o gostoso Nick The Dick, aiiiiiii!!! Deu um arrepio desde da espinha até o fiofó só de lembrar a cena do hot-cock, hihihi!

Repito, crássicooo e Tom Hank-teca na certa e quem não gosta, deve ser sodomizado por um cavalo com lepra! ()@=3

E você, Guerra fofo? Quando vier pra BH, me dá um toque (ui!), pra gente marcar um drink ou um cineminha, ou sei lá... IS WEEEEEEEE!!!!!

Péricles disse...

coincidentemente esse filme passou hoje de madrugada na GLobo. hahahahha

Beth disse...

Felipe, por favor, eu adoraria uma resenha do Último americano virgem, na minha opinião a comédia com um dos finais mais tristes do cinema; de fato não se fazem mais comédias como as dos anos 80. Parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

Felipe, eu não aguentei ao sono e acabei perdendo o filme. Mas já o tinha visto e tenho boas lembranças dele.

Lembro que no ônibus escolar que o Rick dirige no ínicio do filme, tem um menino lendo uma revista de mulher pelada.

Paulo Geovani

D Evil disse...

Eu tenho esse DVD, e o que não dá pra entender é por que essa cambada de bundas-sujas não o lançaram com a dublagem original. ]:¬{
Ver filme dublado é o Ó, mas nesse eu abriria uma exceção.

Só pra confirmar: filme tesão EVER, amooooooooo comédias irresponsáveis! Tipo de filme que depois de ver, dá vontade de descascar umazinha pra dormir que nem bebê, hihihi! É tudo de BÃO, eta-lê-lê!!! ]:¬D

Bruno D disse...

Filme foda da última geração de comédias grosseiras e ofensivas, e é triste constatar que o único do elenco que conseguiu uma boa carreira foi o Tom Hanks...

Mas... é o D Evil mesmo aqui, o mesmo da moribunda TGTG? Você sumiu, cara! É você mesmo ou é um copybocat? Mande notícias, chapa!

Anônimo disse...

Felipe, eu acho que você deveria resenhar "Voluntários da Fuzarca" que pra mim é mais obscuro que "Bachelor Party".

Paulo Geovani

Felipe M. Guerra disse...

"Voluntários da Fuzarca" é a próxima atualização! ;-)

D Evil disse...

É claro que sou eu, Bruninho. D Iva como eu só existe uma mesmo, hunf! ]:¬/

Ahhhhhhhhh, Voluntários da Fuzarca eu amoooooo também! Adoro bofes GGs (Grisalhos e Gostosos) como Tim Thomerson e William Bonner, hihihi! Do Tim Thomerson, eu chupo até o tutano! ]:-D°°°°°°

M disse...

Resenha para "King Frat"!

Viana disse...

Blogger Felipe M. Guerra disse...

"Voluntários da Fuzarca" é a próxima atualização! ;-)



Sai ainda hoje Felipe?Esse filme é muito louco também.

Anônimo disse...

Meu primeiro de resenha atentido.
Dessa fase comediante do Hanks eu gosto também de "Meus vizinhos são um terror".

Anônimo disse...

Pessoal... Já que o assunto é comédia com adolescentes (ou não) irresponsáveis e imaturos, o que vocês acharam do filme "Show de Vizinha"?

Ass: Fabiano

Anônimo disse...

Fabiano, eu nunca vi esse filme.

Já viu "Porky´s"? Pois é. Ele é o melhor de todos.

Paulo Geovani

Anônimo disse...

Felipe, com a morte do humorista Chico Anysio, bem que você poderia, como homenagem, resenhar o filme "O Doce Esporte do Sexo", única pornochanchada estrelada por ele.

Paulo Geovani

Bruno disse...

Felipe, você já assistiu o incrivel Monstro do armário ? O título original se não me engano é Monster in the closet.

Passou algumas vezes no SBT nos anos 90, muito tosco, e muito divertido, do jeito que você gosta.

Valeu

Diones Leal disse...

Esse monstro do armário eu me lembro bem, parece que o monstro na verdade era uma fêmea e se apaixonou pelo cara quando ele tirou os óculos, é esse mesmo Bruno?

Anônimo disse...

Aproveitando a ocasião - e fugindo um pouco do assunto - alguém sabe o nome original de um filme americano que passava com frequencia no SBT chamado "Férias ardentes" que mostrava um grupo de amigos que passa as férias trabalhando num hotel de luxo para se divertir? Um dos amigos era o
"Gordo" que era perseguido por um velho quase metade do filme, por ter transada com a esposa dele (o mesmo o chamava de Salame Boy), também tinha uma hospede que tocava diversos instrumentos musicais e cada cena que aparecia tocando um diferente transava com um do grupo de amigos. Estou atrás desse filme a um bom tempo e pelo titulo nacional não acho nada quem sabe com o gringo consigo alguma coisa.

Felipe M. Guerra disse...

ANÔNIMO, você está falando do "Hot Chilli", do William Sachs.

Anônimo disse...

Este mesmo! Obrigado pela ajuda, não vejo a hora de rever esse clássico (ou pelo menos anos atrás quando o assisti achava que era). rs

Dr. Anderson Pessôa disse...

Esta comunidade é destinada aos fãs das séries, filmes e desenhos que passavam na década 80 e 90.
Convide seus amigos e familiares.
Relembrar é viver.

http://www.facebook.com/groups/tvanos80.90/

Dr. Anderson Pessôa disse...

Esta comunidade é destinada aos fãs das séries, filmes e desenhos que passavam na década 80 e 90.
Convide seus amigos e familiares.
Relembrar é viver.

http://www.facebook.com/groups/tvanos80.90/